Polícia Federal e Interpol prendem em Blumenau hacker foragido dos EUA - Segurança - O Sol Diário

Crimes cibernéticos27/10/2016 | 15h30Atualizada em 27/10/2016 | 19h00

Polícia Federal e Interpol prendem em Blumenau hacker foragido dos EUA

Homem usava nome falso e foi encontrado em apartamento de luxo no bairro Jardim Blumenau

Polícia Federal e Interpol prendem em Blumenau hacker foragido dos EUA Osvaldo Sagaz/RBS TV
Foto: Osvaldo Sagaz / RBS TV

Uma operação da Polícia Federal prendeu na manhã desta quinta-feira Michael Knighten, 52 anos, foragido internacional procurado pela Interpol. Ele é acusado pelo escritório da Interpol em Washington, nos Estados Unidos, de comandar um grupo de criminosos cibernéticos que fraudou diversas corporações em todo o mundo. A ação ocorreu em um edifício de alto padrão no bairro Jardim Blumenau, em uma transversal da Rua Nereu Ramos, por volta das 9h30min.

As investigações foram conduzidas pela Polícia Federal e pelo Grupo de Capturas Internacional da Interpol no Brasil e apontaram que Michael Knighten poderia estar no país e com o nome falso de Michael Sabatine.

Para afastar as dúvidas sobre a identidade do suspeito, os policiais coletaram um copo de vidro usado por ele enquanto se exercitava em uma academia. As digitais encontradas no copo usado por Michael Sabatine foram comparadas com as de Michael Knighten disponibilizadas pela Interpol em Washington. A análise dos peritos da Polícia Federal concluiu que Michael Sabatine era, de fato, Michael Knighten.


A Polícia Federal divulgou a imagem de Michael Knghten, que estava foragido dos Estados Unidos e morava em Blumenau usando o nome falso de Michael Sabatine. Foto: Polícia Federal/Divulgação

O mandado de prisão foi expedido pelo ministro Teori Zavascki, do Supremo Tribunal Federal (STF). Também foram cumpridos um mandado de condução coercitiva e um mandado de busca e apreensão expedidos pela Justiça Federal em Santa Catarina. Knghten foi encaminhando para a sede da Polícia Federal em Itajaí, onde vai permanecer temporariamente até que a juíza responsável pelo caso, que é de Florianópolis, determine onde ele deverá esperar a conclusão do processo de extradição.

O mandado de prisão contra o hacker estava em aberto desde 2003. Agora ele fica à disposição do Supremo Tribunal Federal, que vai dar andamento à extradição do americano, já que a ordem de prisão é internacional.

Durante a operação foram apreendidos aproximadamente R$ 4 milhões em bens, incluindo veículos de luxo, e cerca R$ 500 mil em dinheiro. Um imóvel de alto padrão avaliado em R$ 3 milhões, localizado em Blumenau, também foi objeto de sequestro. Durante a operação a Polícia Militar de Blumenau foi acionada para dar apoio aos policiais federais, já que foi necessária a realização de revista em uma mulher que estava no apartamento. Além das acusações pelos crimes cibernéticos, Knighten deve responder por uso de documento falso e posse de entorpecente, já que no apartamento onde ele estava foram encontradas pequenas porções de maconha e cocaína, segundo informações da Polícia Federal.


Um dos veículos apreendidos durante a operação. Foto: Osvaldo Sagaz/RBS TV

Michael Knighten teria sido responsável por um desvio de, pelo menos, R$ 6 milhões de empresas dentro e fora dos Estados Unidos, segundo os investigadores, por meio de uma prática criminosa conhecida como comprometimento de e-mail empresarial (ou business e-mail compromise – BEC, em inglês). Esse tipo de crime constitui um esquema que tem como alvos empresas que trabalham com parceiros estrangeiros e fazem pagamentos ao transferir dinheiro regularmente.

Estima-se que, nos dois últimos anos, os esquemas de comprometimento de e-mail empresarial causaram prejuízos de US$ 2,3 bilhões em perdas para aproximadamente 12 mil grandes empresas em todo o mundo.

*Com informações da Divisão de Comunicação Social da Polícia Federal.

JORNAL DE SANTA CATARINA

 

Veja também

  •                                
  •  
     
  •  
     
  •  
O Sol Diário
Busca
clicRBS
Nova busca - outros