Turista argentino morre afogado nas piscinas naturais da Barra da Lagoa  - Segurança - O Sol Diário

Tragédia18/01/2017 | 20h03Atualizada em 18/01/2017 | 20h27

Turista argentino morre afogado nas piscinas naturais da Barra da Lagoa 

Homem foi socorrido por salva-vidas que estavam de folga no local 

Turista argentino morre afogado nas piscinas naturais da Barra da Lagoa  Odeníssio Coelho/CBM-SC
Foto: Odeníssio Coelho / CBM-SC

Um argentino de férias em Florianópolis morreu afogado na tarde desta quarta-feira enquanto tomava banho nas piscinas naturais da Barra da Lagoa. O homem de 39 anos ainda sem identidade confirmada foi socorrido inicialmente por dois salva-vidas civis que estavam de folga na praia. 

Conforme o tenente-coronel Elton de Souza, um bote do Corpo de Bombeiros que fica na região fez o resgate do turista até o trapiche do canal da Barra, já que para chegar nas piscinas, é preciso fazer uma trilha de cerca de 15 minutos. No canal, estava uma equipe do Samu, que não conseguiu reanimá-lo.

— Foi muito comovente o momento ali. Mais de 30 minutos de reanimação, infelizmente sem sucesso — relata o morador Heriberto Junior, que acompanhou o salvamento.

Este é o primeiro caso dessa temporada de afogamento nas piscinas naturais da Barra da Lagoa, segundo os bombeiros. No verão passado, houve um caso envolvendo um homem embriagado. Na semana passada, placas turísticas foram instaladas pela Floram ao longo do percurso em três idiomas. No entanto, o que a comunidade reivindica desde o ano passado é a presença de salva-vidas naquele balneário.

— O movimento é muito grande, e o tempo de resposta não. Até o salva-vidas sair da praia e se deslocar pra lá é no mínimo 10 minutos — cobra Heriberto, que também é líder comunitário do bairro.

No entanto, o salva-vidas Odeníssio Coelho, morador da Barra e que estava no bote que fez o resgate da vítima, salienta que esta quarta-feira foi de mar revolto e não era seguro tomar banho no local. 

— Por volta das 14h, tinham quatro cabeças dentro d'água, e eu mandei eles saírem. O que as pessoas tem que entender é que lá não é uma piscina como o povo fala. É costão, mar aberto. Tem dias que vira um piscinão, é verdade, mas não é sempre. Dias como hoje é um perigo eminente. Não é um local que qualquer pessoa pode ir — explica o salva vidas.

Mesmo assim, está nos planos dos bombeiros a instalação de um posto guarda-vidas no local. Em fevereiro de 2016, Heriberto Junior recebeu um ofício dos bombeiros com a resposta sobre o pedido: "Ao término de cada Operação Veraneio é feita uma análise das necessidades de ativação de novos postas Guarda-Vidas, bem como dos recursos humanos, materiais e financeiros para a próxima Operação Veraneio. Diante disto, informo que está sob análise deste Comando a possibilidade de instalar posto Guarda-Vidas nas piscinas naturais da Barra da Lagoa para a próxima Operação Veraneio", diz o documento assinado pelo tenente-coronel Helton de Souza Zeferino, do 1º Batalhão de Bombeiros Militar.



Siga O Sol Diário no Twitter

  • osoldiario

    osoldiario

    O Sol DiárioJustiça extingue ação do MPF contra o maior residencial do país em Balneário Camboriú https://t.co/MnhT9P1tPahá 2 horas Retweet
  • osoldiario

    osoldiario

    O Sol DiárioJustiça extingue ação do MPF contra o maior residencial do país em Balneário Camboriú https://t.co/kVXdsGQUXnhá 3 horas Retweet

Veja também

O Sol Diário
Busca