Corpo é encontrado aos pedaços e carbonizado no Morro da Queimada, em Florianópolis - Segurança - O Sol Diário

Violência07/02/2017 | 17h17Atualizada em 07/02/2017 | 18h27

Corpo é encontrado aos pedaços e carbonizado no Morro da Queimada, em Florianópolis

Polícia ainda não tem identidade da vítima

Corpo é encontrado aos pedaços e carbonizado no Morro da Queimada, em Florianópolis Diogo Vargas/Agencia RBS
Foto: Diogo Vargas / Agencia RBS

Mais um crime bárbaro é registrado em Florianópolis, desta vez em uma comunidade do Maciço do Morro da Cruz, na área central da cidade. Na tarde desta terça-feira, a Polícia Militar encontrou um corpo queimado e em pedaços. Ironicamente, estava no alto do morro da Queimada, que fica nos fundos da região do Morro do Mocotó.

A operação em busca do corpo começou ainda na segunda-feira, segundo o comandante do 4º Batalhão da PM, tenente-coronel Marcelo Pontes. A reportagem apurou que havia ligações anônimas à PM de pessoas reclamando do mau cheiro na área. Por volta das 16h desta terça-feira, PMs do PPT (Pelotão de Patrulhamento Tático) retornaram ao lugar e conseguiram achá-lo. O helicóptero Águia da PM participou da operação.

— Na segunda-feira havia informações, mas não do local exato. Hoje obtivemos informações mais precisas e conseguimos localizá-lo. É um local de difícil acesso, no meio do mato. Achamos pedaços do corpo queimado, como tórax e braços, mas o crânio ainda não — disse o comandante.

As informações preliminares são de que ainda não é possível apontar o sexo da vítima e a polícia trabalha para descobrir a identidade. A Delegacia de Homicídios e o Instituto Geral de Perícias (IGP) foram acionados. Policiais afirmam que as primeiras suspeitas indicam que a motivação estaria ligada ao tráfico de drogas.

Responsável pelo caso, o delegado Ênio Mattos, titular da Delegacia de Homicídios, afirma que ainda não é possível saber se a causa do crime está relacionada ao tráfico de drogas na região. Ele vai pedir exames periciais ao IGP na tentativa de descobrir a identidade da vítima. Sobre a possível data da morte, Ênio diz que o homicídio ocorreu em 2017. Segundo as contas do delegado, responsável por todos os homicídios na Capital neste ano, com o caso Florianópolis registra 26 homicídios em 38 dias do ano.

— Em uns 10 homicídios já conseguimos encaminhar quem são os autores, mas o resto ainda estamos trabalhando — diz Ênio.

Foto: Diogo Vargas / Agencia RBS


 

Siga O Sol Diário no Twitter

  • osoldiario

    osoldiario

    O Sol DiárioGrêmio goleia Zamora por 4 a 0 e avança como terceiro melhor da fase de grupos da Libertadores https://t.co/VcXbhCfTojhá 44 minutosRetweet
  • osoldiario

    osoldiario

    O Sol DiárioBalneário Camboriú recebe peça Histórias de Agrolândia neste sábado https://t.co/kDaCdjPA6whá 1 horaRetweet

Veja também

O Sol Diário
Busca
clicRBS
Nova busca - outros