Polícia Civil divulga nome e fotos do suspeito de matar transexual Jeniffer em Florianópolis  - Segurança - O Sol Diário

Crime nos Ingleses22/04/2017 | 18h12Atualizada em 24/04/2017 | 10h33

Polícia Civil divulga nome e fotos do suspeito de matar transexual Jeniffer em Florianópolis 

Jovem de 22 anos é de Criciúma e já tinha prisão temporária decretada

Polícia Civil divulga nome e fotos do suspeito de matar transexual Jeniffer em Florianópolis  /
Foto: Reprodução/Polícia Civil-SC

A Delegacia de Homicídios de Florianópolis divulgou na tarde deste sábado (22) o nome e três fotos do suspeito de assassinar a transexual Jennifer Celia Henrique no dia 10 de março, nos Ingleses. O jovem se chama Dik Greison Isidoro da Silva, tem 22 anos, é natural de Criciúma, e à época do crime se encontrava como morador de rua na Capital catarinense.

Jenni, como era conhecida, tinha 37 anos. Ela foi morta a pauladas dentro de um prédio em construção no final da servidão Paraíso dos Ingleses. O delegado Eduardo Matos, responsável pelas investigações, garante ter todos os elementos de autoria para comprovar a participação do suspeito, mas ainda não informou o motivo do crime.

— Nós ouvimos várias testemunhas e juntamos com imagens de câmaras de videomonitoramento até chegarmos a esse suspeito — informou apenas.

Matos não descartou crime de homofobia. No entanto, informou que a morte não tem relação com dois boletins de ocorrência que Jenni registrou relatando agressões e ameaças. O suspeito está com prisão temporária decretada pela Justiça desde 14 de abril.

A investigação descartou a participação de dois homens na cena do crime, apesar de terem sido encontrados dois pedaços de pau sujos de sangue no local do homicídio. Mais detalhes sobre o assassinato serão divulgados nesta segunda-feira em coletiva de imprensa.

A polícia pede que denúncias sejam feitas pelos fones (48) 3251-5200, (41) 995203535, (51) 984187814 ou nos números de emergências 190 (PM), 181 (Disque Denúncia), 191 (PRF) e 198 (BPMRv)

Foto: Reprodução / Facebook

Quem era Jenni

Nas redes sociais, onde a morte teve grande repercussão, amigos e familiares da vítima afirmam que o homicídio teve motivações preconceituosas, intolerantes e de transfobia. Jennifer, conhecida por todos no Norte da Ilha como Jenny, tinha em seu RG o nome de João Geraldo Henrique, 37 anos. Ela tinha forte atuação em movimentos de causas de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis, Transexuais e Transgêneros (LGBT), além de ser muito conhecida nas regiões dos Ingleses e Santinho, onde morava com seus pais. Jenny trabalhava como revendedora de uma marca de cosméticos.

Acompanhe outras notícias da Grande Florianópolis

Siga O Sol Diário no Twitter

  • osoldiario

    osoldiario

    O Sol DiárioCom irmã improvisada de "calheira", catarinense leva a prata na bocha paralímpica https://t.co/hBsnEQHMcKhá 26 minutosRetweet
  • osoldiario

    osoldiario

    O Sol DiárioTroféu Brasil de Bodyboarding, em Balneário Camboriú, está prestes a conhecer campeões https://t.co/XZa1NQIH1Fhá 31 minutosRetweet

Veja também

O Sol Diário
Busca