Ocorrências de assalto assustam moradores da Praia do Sonho, em Palhoça - Segurança - O Sol Diário

Palhoça27/06/2017 | 08h05Atualizada em 27/06/2017 | 08h05

Ocorrências de assalto assustam moradores da Praia do Sonho, em Palhoça

Em um dos casos recentes mais graves, uma criança foi baleada

Ocorrências de assalto assustam moradores da Praia do Sonho, em Palhoça Marco Favero/Agencia RBS
Posto policial da 2ª CIA do 4º batalhão da Polícia Militar, localizado na Praia do Sonho Foto: Marco Favero / Agencia RBS

Desde que encerrou a temporada de verão, a insegurança tem causando medo nos moradores da Praia do Sonho, em Palhoça. Eles contam que a tranquilidade característica do balneário tem sido interrompida por assaltos e arrombamentos. Na quarta-feira da semana passada, foram cinco ocorrências, segundo a Polícia Militar. 

Num dos casos recentes mais graves, uma menina de sete anos foi atingida por um tiro no braço. Foi durante um assalto à casa do representante comercial Adair Raitz, de 42 anos, pai da menina, no dia 15 de junho:

— Quando escureceu, pularam o muro em quatro pessoas e vieram na porta de casa como se fosse um furacão dizendo que todo mundo ia morrer. Quando vi que a situação era grave, subi a escada com minha filha e chaveei a porta do quarto. Eles começaram a atirar na porta, atravessou e acertou o braço direito da menina.

Os ladrões levaram dois celulares. A criança está com dificuldade locomotora numa das mãos e fazendo tratamento hospitalar.

Situação menos traumática, porém com prejuízo material maior, viveu o dono do restaurante Estação 151, Sílvio Soares. No dia 17 de junho, encontrou o estabelecimento arrombado.

— Entraram aqui e levaram carnes, bebidas e antes de fugirem acabaram quebrando a geladeira, o fogão. O nosso prejuízo é avaliado em até R$ 10 mil. Essa foi a primeira vez que Sílvio foi assaltado. No entanto, o empresário contou pelo menos outros seis assaltos no último mês na região em que mora.

— A Baixada do Maciambu só cresceu e o efetivo só diminuiu.

PM diz que receberá mais efetivo 

O capitão André Wagner Schlischting é o comandante da 2ª Companhia do 16º Batalhão da Polícia Militar, responsável pela região das praias ao sul de Palhoça: Sonho, Papagaio, Pinheira e Guarda do Embaú. O militar destaca que no caso do assalto ao restaurante Estação 151, o autor foi preso, e que a investigação sobre a menina que levou um tiro no braço está em andamento.

Quanto à possível falta de efetivo, capitão André explica que o pedido de incremento de pessoal é constante.

— A gente nunca tem o efetivo ideal, mas depois que assumi o comando implementei uma série de alternativas de ronda. Tenho hoje barreiras itinerantes, agentes com motocicleta e o pessoal da tático. Temos uma previsão de término de curso de soldados no final do ano. E aí iremos receber reforço tanto para a área de praias como para a cidade.

A Polícia Militar lembra que uma política que dá resultados na área de segurança pública são iniciativas comunitárias como o vizinho solidário e os conselhos comunitários de segurança (Conseg).

No entanto, o Conseg da Baixada do Maciambu esteve esquecido nos últimos anos, tanto que os moradores da Praia do Sonho vítimas de assaltos mal sabiam da existência dele. Através de reuniões com representantes das polícias Civil e Militar, a comunidade pode expor os problemas e propor soluções conjuntas. Nesta semana, os moradores devem organizar uma reunião com autoridades da segurança pública para reativar o Conseg na região.  

Siga O Sol Diário no Twitter

  • osoldiario

    osoldiario

    O Sol DiárioFigueirense tem pior defesa da Série B, e goleiro justifica: "Ansiedade" https://t.co/vgUEGBPaeMhá 10 horas Retweet
  • osoldiario

    osoldiario

    O Sol DiárioCom árbitro de vídeo, Avaí poderia ter dois pontos mais e Chape ido mais longe na Copa do Brasil https://t.co/5KkVYCOTOThá 11 horas Retweet

Veja também

O Sol Diário
Busca
clicRBS
Nova busca - outros