Juiz aceita denúncia contra 109 pessoas acusadas de integrar facção de SP em Santa Catarina - Segurança - O Sol Diário

Crime organizado12/07/2017 | 14h49Atualizada em 12/07/2017 | 14h49

Juiz aceita denúncia contra 109 pessoas acusadas de integrar facção de SP em Santa Catarina

"Organização criminosa bem estruturada e com divisão de tarefas voltada à prática de diversos crimes graves no Estado", afirma magistrado

Juiz aceita denúncia contra 109 pessoas acusadas de integrar facção de SP em Santa Catarina Betina Humeres/Agencia RBS
Armas apreendidas na operação da Deic deflagrada em 20 de abril. Foto: Betina Humeres / Agencia RBS

A Justiça aceitou a denúncia do Ministério Público contra 109 pessoas acusadas de integrar uma facção criminosa de São Paulo que age em Santa Catarina. Elas responderão por delitos como associação e financiamento para o tráfico de drogas, posse, porte e comércio de arma de fogo e corrupção de menores.

A decisão é do juiz da Vara do Crime Organizado em Florianópolis, Renato Guilherme Gomes Cunha, e foi proferida na terça-feira. Segundo o juiz, a denúncia descreve a existência de uma organização criminosa bem estruturada e com divisão de tarefas voltada à prática de diversos crimes graves.

Ainda conforme o magistrado, trata-se de um braço de uma facção criminosa de São Paulo em Santa Catarina, em que os integrantes estão divididos em quatro níveis de hierarquia. O juiz também cita a violência gerada nas duas maiores cidades catarinenses pelos criminosos:

"O fato é que aqui em Santa Catarina, mais precisamente em cidades como Joinville e Florianópolis, a expansão da organização criminosa tem sofrido resistência por parte da facção local. O resultado disso é o derramamento de sangue que se tem visto nos últimos meses, tendo como pano de fundo a disputa por pontos de venda de drogas", destaca Cunha.

Os crimes foram apurados durante oito meses pela Diretoria Estadual de Investigações Criminais (Deic). A operação aconteceu no dia 20 de abril. Na época, a polícia divulgou a ação como sendo a maior ofensiva contra uma facção criminosa no Estado.

Os acusados e as defesas terão 10 dias para responderem a acusação. O juiz determinou que presos em outros Estados deverão ser recambiados a Santa Catarina. Em relação a três pessoas, a Justiça determinou novo inquérito para apurar a conduta deles.

Audiências e interrogatórios

Agora, os 109 acusados são considerados réus e responderão a uma ação penal. Haverá audiências de interrogatórios e ao final o juiz decidirá pela condenação ou absolvição. Todos estão com prisão preventiva decretada.

Conforme o DC revelou na reportagem Linhas Vermelhas, em 3 de junho, os acusados articulavam crimes de dentro de cadeias catarinenses, do Paraná, de São Paulo e do Mato Grosso do Sul. A Deic afirma que os presos aproveitavam a ausência de bloqueadores de sinal de telefones celulares nas principais unidades prisionais do Estado para planejar e gerenciar delitos.

A ação se agravava diante da guerra instalada pela facção de SP com o bando local de Santa Catarina na disputa por pontos de drogas, na Grande Florianópolis. Os conflitos entre as duas quadrilhas, conforme a Deic, são um dos motivos dos homicídios na região, principalmente no Continente (região do bairro Monte Cristo), e norte da Ilha, na Capital.

Leia também:
Justiça prorroga prisões de 112 alvos da maior operação contra facção criminosa em Santa Catarina

Deic cumpre 112 mandados de prisão em operação contra facção criminosa em Santa Catarina

Onze homens são detidos pela PM durante reunião de facção criminosa em Florianópolis

Siga O Sol Diário no Twitter

  • osoldiario

    osoldiario

    O Sol DiárioMarquinhos fala da volta de Kozlinski aos titulares do Avaí: "Confiança do grupo ele tem" https://t.co/u033a8eZuzhá 18 horas Retweet
  • osoldiario

    osoldiario

    O Sol DiárioTécnico do Figueirense exalta grupo e diretoria: "Fizemos uma família" https://t.co/TgxY1wi2Tuhá 20 horas Retweet

Veja também

O Sol Diário
Busca